Campanha Junho Vermelho traz uma série de ações de incentivo à doação voluntária de sangue

O mês de junho é bastante importante no panorama da doação de sangue no país. Isso porque além de ser o período em que se comemora o Dia Mundial do Doador de Sangue (14º dia do mês), estabelecido pela Organização Mundial da Saúde, é a época em que tanto hospitais públicos quanto privados enfrentam o grave problema da queda nas doações de sangue.

Pensando nisso instituições públicas e privadas, prefeituras, governos estaduais, Ministério da Saúde e fundações ligadas à doação de sangue se mobilizam para colocar em prática mais uma edição da Campanha Junho Vermelho. A ação é uma iniciativa do “Movimento Eu dou Sangue Pelo Brasil”, vai acontecer até o fim do mês e ocorre em uma época do ano na qual tradicionalmente caem as doações.

Esse ano a Campanha está na edição de número 9 e visa reforçar os estoques de sangue dos hemocentros brasileiros – tão fundamentais para dar suporte a diversos procedimentos médicos e hospitalares.

Ao longo do mês várias atividades serão realizadas para incentivar a doação. Uma delas é a iluminação em vermelho de algumas instituições públicas e privadas, prédios históricos e monumentos em diferentes localidades.

Em São Paulo o Memorial da América Latina, a sede da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo, Instituto do Câncer do Estado de São Paulo, Sala São Paulo, Fonte do Parque do Ibirapuera, Monumento às Bandeiras (“empurra-empurra”), Viaduto do Chá, entre outros, aderiram à Campanha com a iluminação avermelhada.

A Cuidados em Casa apoia a iniciativa e pede para que todos participem ativamente da Campanha para ajudar a abastecer os bancos de sangue que salvam tantas vidas. Listamos abaixo algumas dicas para aquele que quer ser doador:

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Ter feito a primeira doação antes dos 60 anos;
  • Pesar no mínimo 50 quilos;
    Estar descansado;
  • Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
  • Não ter praticado exercícios físicos nas 12 horas anteriores;
    Estar alimentado;
  • Evitar ingerir alimentos gordurosos 4 horas antes da doação;
    Apresentar documento original com foto recente;
  • Não fazer uso de medicamentos;
  • Não ter ingerido bebidas alcoólicas;
  • Não ter se submetido à endoscopia há 6 meses;
  • Não ter feito tatuagem há 1 ano;
  • Não ter colocado piercing há 12meses;
  • Não ter feito maquiagem definitiva há 1 ano;
  • Em caso de ter ficado resfriado o candidato deve aguardar 7 dias após desaparecer os sintomas;
  • Mulheres grávidas não podem doar;
  • Mulheres que tenham tido parto normal só podem doar após 90 dias e em caso de parto cesariana 180 dias deve ser o intervalo;
  • Mulheres que estejam amamentando não devem doar caso o parto tenha ocorrido há menos de 12 meses;
  • Pessoas que estiveram nos estados Acre, Amapá, Amazonas, Rondônia, Roraima, Maranhão, Mato Grosso, Pará e Tocantins devem aguardar 12 meses por conta da alta prevalência de malária nesses locais;
  • Menores de 18 anos precisam da autorização dos responsáveis.
  • Existem outros critérios e recomendações que podem ser consultados no site do Ministério da Saúde (Quem pode doar?). Além disso, portarias do Ministério ainda tratam como “inaptos temporários” à doação de sangue homens que tiveram relações sexuais com outros homens.

De acordo com a Fundação Pró-Sangue de São Paulo, os estoques estão cerca de 35% do nível considerado adequado. A informação do Ministério de Saúde ressalta que a doação de 3 a 5% da população seria ideal para que pudessem atuar tranquilamente. Entretanto possuímos menos que 2% de doadores.

Para doar, é precioso estar imbuído pelo desejo de ajudar o próximo e procurar as unidades de coleta de sangue, como os Hemocentros.

0 Shares
Share via