5 Estratégias de Sucesso no Homecare!

O sucesso de um tratamento em casa, começa com estratégias de quebrar o gelo e encantar paciente e familiares.

O primeiro contato é crucial para estabelecer uma boa relação médico-paciente. É neste momento que o profissional mostrará que é confiável e que pode ajudar aquela pessoa a cuidar de sua saúde. “Essa é uma chance única de causar a famosa boa impressão, que neste caso efetivamente definirá o sucesso dali por diante”, afirma Dr. Luiz Carlos, Diretor Clínico da Cuidados em Casa.

Listamos 5 DICAS importantes como sugestão de conduta para os profissionais do atendimento domiciliar, vejamos:

  1. Seja pontual
    Mostra respeito e interesse ao paciente, gerando fidelidade. É natural que haja atrasos – talvez você precise dedicar mais tempo a um paciente ou tenha uma intercorrência, mas é preciso avisar o suporte ou diretamente a casa do paciente. Uma agenda planejada pode ajudar nisso, já deixando períodos para o inusitado.
  1. Crie uma conexão
    A relação profissional da saúde-paciente é um dos bens mais preciosos que podem ser cultivados – e ela começa a ser construída desde antes do paciente vê-lo. Quando o primeiro contato acontece, é importante criar um ambiente de confiança. Para isso, existem algumas estratégias simples, como ir na direção do paciente ou familiar responsável, olhar em seus olhos, perguntar seu nome e pedir para que ele lhe de uns minutos de atenção especial, para se conhecerem.
  1. Nunca inicie a conversa falando sobre a doença
    Ir direto ao ponto é a estratégia de alguns profissionais para poupar tempo, afinal, a agenda apertada pede isso. Entretanto, para o Dr. Luiz Carlos da CEC, esse é um dos maiores erros que se pode cometer em um primeiro encontro com o paciente. Introduza o diálogo com assuntos relacionados a quem ele é, e não que estejam diretamente ligados à consulta. Isso será fundamental para “quebrar o gelo” e aproximar a relação. “O médico muitas vezes é o portador de notícias difíceis. Por isso, se colocar no lugar do outro e tentar ver qual a melhor forma de falar é um diferencial, sem dúvida”, afirma Luiz.
  1. Avalie o histórico do paciente envolvendo a família
    Na ânsia de tratar o problema, muitas vezes o profissional da saúde deixa passar dados relacionados ao passado, e estes, podem fazer a diferença. Deixá-lo falar, bem como a família é vital, fale menos e ouça mais. Esta pode ser a chave para um bom diagnóstico ou definição de sua estratégia junto aquele cenário, cita Luiz Carlos.
  1. Faça uma consulta sem “pressa”
    Aqui sem dúvida um ponto crucial, que quando não acontece, deixa a imagem do profissional ruim e consequentemente da empresa. Aqui na CEC acreditamos que com assertividade e foco, em uma consulta de 20 a 30 minutos você terá o que precisa e ainda deixará uma boa imagem para o paciente e seus familiares. Pode até ter pressa, mas não deixe isso transparecer, reitera Luiz..
Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *