As Fases do Alzheimer e seus sintomas!

O Alzheimer apresenta sintomas de transtorno neurodegenerativo que se manifesta principalmente pela deterioração cognitiva que ele causa além da perda de memória, alterações de comportamentos e vários outros sintomas neuropsiquiátricos relevantes. Sem dúvida, é uma doença capaz de reduzir as capacidades de se relacionar e trabalhar, além dos movimentos na própria personalidade da pessoa afetada.

Como há uma piora progressiva de todos os sintomas, comumente ele é dividido em fases. São elas:

Estágio 1 (Inicial)

Estágio em que a doença dificilmente é notada pela própria pessoa com Alzheimer, assim como pelos seus amigos e familiares. Muitos percebem essa fase erroneamente como um processo natural “da velhice”; em que os principais sintomas são:

  • Problemas de fala
  • Perda de memória sobre coisas que acabam de acontecer
  • Não saber a hora ou o dia da semana
  • Se perder em locais familiares
  • Ter dificuldade na tomada de decisões
  • Ficar inativa ou desmotivada
  • Apresentar mudanças de humor constantemente.
  • Reagir com raiva incomum e agressividade em determinadas ocasiões
  • Perda de interesse por hobbies e outras atividades.

Estágio 2 (Intermediário)

Conforme se progride a doença, os sintomas ficam mais graves; e consequentemente, mais evidentes. Os principais sintomas dessa fase são:

  • Perda de memória, especialmente com eventos recentes e nomes das pessoas
  • Extrema dependência de familiares e cuidadores
  • Necessita de ajuda para a higiene pessoal
  • Dificuldade ainda maior ao tentar falar e se expressar
  • Repetição de perguntas e gritos aleatórios
  • Perde-se tanto em casa como fora de casa
  • Possibilidade de alucinações

Estágio (3) Avançado

É o principal estágio do Alzheimer, e o mais perigoso de todos. Os problemas de memória são mais graves, e passa-se a notar também os primeiros sintomas estritamente físicos da doença.

  • Dificuldades para se alimentar
  • Incapacidade para se alimentar
  • Não se reconhece parentes, amigos e objetos familiares
  • Dificuldade de compreender o que acontece ao seu redor
  • Incapacidade de encontrar o seu caminho de volta para a casa
  • Dificuldade para caminhar
  • Incontinência urinária e fecal
  • Comportamento inapropriado em público
  • Confinamento a uma cadeira de rodas ou cama.

E a prevenção?

Especialistas acreditam que manter bons hábitos e uma boa vida social pode não apenas retardar; mas até mesmo inibir a manifestação da doença. Quanto maior o estímulo cerebral, maior a possibilidade de contornar as lesões cerebrais. Portanto, uma maneira de retardar o processo da doença é justamente a estimulação cognitiva constante e diversificada ao longo de toda a vida.

Algumas outras dicas são:

  • Atividades físicas regulares
  • Alimentação balanceada e saudável
  • Evitar o consumo de bebidas alcoólicas
  • Evitar tabagismo
  • Leitura
  • Exercícios de aritmética
  • Jogos inteligentes
  • Participação em atividades de grupo.

Alzheimer x Atenção Domiciliar

Para os que já possuem a patologia, o sistema de Homecare surge como uma ótima opção que proporciona um tratamento técnico e especializado no conforto da casa do paciente, com a mesma qualidade de um hospital de ponta.

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *