Diferenças entre Pânico e Ataque do Coração!

Diferenças entre Pânico e Ataque do Coração!

Cada vez mais comum atualmente e principalmente dentro de uma pandemia, o estresse e ansiedade do dia a dia tem provocado um aumento nas “crises de pânico”. A pergunta importante é: Você sabe reconhecer e distinguir uma da outra?

Sim, existem muitas semelhanças entre a síndrome do pânico ou crise de ansiedade extrema, e um ataque do coração. Pelas semelhanças, ao sentir tais sintomas, a pessoa — sobretudo aquela que já tem problemas cardiovascular — logo pensa: Estou infartando? Vou morrer?

Este artigo visa alertar a todos sobre os cuidados com sua saúde e também preparar os leitores para ajudar as vítimas de qualquer um dos dois problemas.

Pois bem, vamos então distinguir os sinais que, embora sejam muito semelhantes, possuem diferenças sutis, porém características de um ou outro problema. E nada melhor do que diferenciar os sintomas da crise de pânico e da parada cardíaca (e tentar memorizá-los) para saber o que fazer caso passe por uma situação em que eles possam aparecer, seja em você, ou em alguém próximo.

Quais são os sintomas da parada cardíaca?

  • Uma dor opressiva, apertando o peito;
  • Na maioria dos casos, a dor começa no meio do peito, podendo irradiar para o braço esquerdo e para as costas;
  • A dor também pode ser sentida no pescoço, garganta, nos dentes e na mandíbula;
  • A língua pode ficar dormente, dificultando a fala;
  • a intensidade da dor pode variar — ou seja, nem sempre ela é tão forte —, por isso preste atenção nos locais da dor e nos outros sintomas;
  • No geral, a dor dura aproximadamente 5 minutos — para quem está com a dor e para quem está ao redor, esse tempo parece ser bem maior;
  • Falta de ar não é um sintoma típico da parada cardíaca, mas pode acontecer associada a outros sintomas (a pessoa pode se apavorar e ter uma crise de pânico naquele momento);
  • Sensação de formigamento é sentida, normalmente, apenas no braço esquerdo;
  • Em algumas pessoas pode haver uma transpiração fria e “grudenta”;
  • Não há taquicardia;
  • As náuseas e até vômito podem acontecer;

Quais são os sintomas da crise de pânico?

  • Dor aguda (não opressiva, ou seja, sem sensação de aperto no peito);
  • A dor se concentra na região do peito e não é constante, ela vai e vem (ondas de dor);
  • A sensação de formigamento não acontece apenas no braço esquerdo, mas pode aparecer também no braço direito, nas mãos, nas pernas e nos dedos — ou mesmo no corpo inteiro;
  • Tontura e desmaio;
  • Forte taquicardia (batimentos cardíacos acelerados);
  • Falta de ar excessiva;
  • Sudorese excessiva;
  • Várias pessoas relatam sentir medos irracionais, como de enlouquecer, por exemplo — além do medo de estar infartando e morrendo
  • Os sintomas atingem o pico depois de 10 minutos do início da crise.

Agir rápido é o mais importante!

Nos casos de pânico, algumas dicas que podem ajudar nas crises:

  • Fale com a pessoa num tom calmo e seguro;
  • Peça para ela ficar de olhos fechados e segurando suas mãos;
  • O foco deve ser recuperar uma respiração lenta e profunda e se necessário for, faça junto com a pessoa;
  • Não desvalorize os medos ou receios;
  • Seja paciente (espere que o ataque passe – em média, entre 5 a 15 minutos).

A sequência de dicas abaixo são para prestar o socorro inicial em um caso de parada cardíaca (infarto):

  1. Reconheça os sintomas que falamos acima
  2. Chame por socorro imediatamente através do telefone 1192 do SAMU, ou do seu serviço de atendimento móvel hospitalar particular;
  3. Acalme a vítima e evite que faça qualquer tipo de esforço físico;
  4. Não deixe muitas pessoas ficarem ao redor, evitando stress
  5. Mantenha a pessoa deitada num local firme e ventilado (pode ser no chão)
  6. Ofereça dois comprimidos de ácido acetilsalicílico (AAS), tendo cuidado para se certificar que a pessoa não tenha alergia ao medicamento;
  7. Jamais ofereça qualquer líquido ou calmante;
  8. Caso a pessoa desmaie, ou caso já esteja desmaiada quando encontrá-la, deite-a de barriga para cima e verifique constantemente a presença de batimentos cardíacos e respiração;
  9. Se porventura perceber que esses sinais vitais pararam, é fundamental começar as compressões torácicas, conhecidas como massagem cardíaca, ou RCP, imediatamente. Por isso, quando acionar o SAMU é importante permanecer em linha com a equipe e recebendo orientações.

Equipe Cuidados em Casa

Compartilhe

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *